Resenha: Alva das Neves

Baseado em um dos meus contos preferidos, Alva das Neves, escrito por Susana Geadas, é uma readaptação de Branca de Neve; um conto de fadas compilado pelos irmãos Grimm, originário da tradição oral alemã.

Seu sucesso está de alguma forma associado ao fato de ter sido o primeiro longa-metragem em desenhos animados (Disney, 1937). E, desde então, a marcante influência deste filme nos acompanha, sendo praticamente indissociável o leitor imaginar uma Branca de Neve diferente da qual foi desenhada pela Disney.

Diferente da história original, que possui cenários como castelo e floresta, Alva das Neves acontece em nosso mundo contemporâneo, mas especificamente em Braga — uma cidade do mesmo país que a autora reside, em Portugal.

O pai, um magnata de sucesso, fica viúvo assim que Alva nasce, então, decide-se casar com Regina Schlecht, uma mulher vaidosa, inteligente e gananciosa; que ao perder o marido trata logo de tomar posse de todos os seus bens e deixar a enteada sem nada.

Sem o amor materno e a proteção do pai, a relação da madrasta com Alva é incendiada por ciúmes e inveja — assim como no conto original — , contudo, ganhando uma nova roupagem que agora une os aspectos da beleza à ganância e ao poder no universo do empreendedorismo; tão presentes em nosso cotidiano.

Concorrentes e simultaneamente rivais, Regina mostra-se obstinada a eliminar Alva quando seu tablet revela a jovem como a nova grande empresária de sucesso. Por isso, não poupa seus recursos e age de forma desleal e vingativa quando vê seu posicionamento no mercado ameaçado.

O que ela não esperava é que a enteada não fosse atingida, sobrevivendo e mostrando-se uma mulher forte e empoderada, capaz de reerguer novamente um novo império, como a própria Alva diz:

“… já construí tudo do nada uma vez, posso fazê-lo de novo.”

E assim ela fez, com o apoio de sete irmãos que a reconheceram e acolheram-na naquele momento difícil onde ela perdeu a casa e a empresa.

Assim que soube que Alva estava de volta e com um novo produto de sucesso no mercado, Regina Schlecht tratou de vingar-se imediatamente, arquitetando um plano para derrubar a concorrente — sem sucesso — e, depois, tentou de novo. Entretanto, todas as suas tentativas fracassaram.

Alva das Neves, que estava presa, conseguiu provar sua inocência e ganhar sua liberdade, casando-se com seu príncipe encantado — o advogado que a auxiliou durante o tempo que esteve na cadeia por culpa das falsas acusações de Regina.

Mesmo sem possuir um “felizes para sempre” (Sim! E não daremos mais spoilers sobre isso), Alva das Neves tem sua glória ao fim do conto. Semelhante à história original, podemos dizer que sua vingança foi concretizada — mas não diretamente por suas mãos ou atitudes baixas como a da madrasta, mas pela justiça. E dessa vez, sem contar com sapatos flamejantes; sendo as grades o objeto que detém a mulher má.

Afinal, sapatos flamejantes estão fora de moda e certamente uma mulher íntegra e de sucesso como Alva das Neves prefere ousar e demonstrar toda sua segurança com tênis confortáveis e poderosos scarpins.

Alva das Neves - Susana Geadas

Alva das Neves – Susana Geadas

Alva das Neves é uma jovem que perdeu a sua mãe ainda nova e cresceu apenas com o seu pai, um magnata de Braga. O seu pai refez a sua vida, casando com Regina, uma mulher ávida por dinheiro e sem escrúpulos, que usurpa a fortuna de Alva e faz de tudo para a destruir. Conseguirá? Ou sairá o feitiço contra o feiticeiro?

Esta história trata-se de uma transposição de um conto de fadas para o mundo contemporâneo, transformando-o numa história adulta.

Se você ficou curioso para conhecer essa versão contemporânea de Branca de Neve, faça agora mesmo o download de Alva das Neves de Susana Geadas — disponível na Amazon.

Autora: Susana Geadas
Publicado em:
20 fevereiro 2021
Idioma : Português de portugal
Número de páginas : 11 páginas
Disponível na Amazon: http://bit.ly/ebook-alvadasneves

Contos Relacionados